História da Kokedama

Mais conhecida pelos japoneses como o “bon-sai dos pobres”, pela raiz da palavra, Kokedama significa bola de musgo (koke: musgo e dama: bola).

As kokedamas surgiram de outra arte milenar, o pun-wan (árvores e paisagens retratadas em bacias e tigelas rasas ou achatadas – as pun, pan ou pen). 

Registros apontam que práticas dessa arte Chinesa datam aproximadamente 5 mil anos. No início, os vasos eram produzidos em barro. Somente durante a Idade do Bronze chinesa, por volta de mil anos depois, as bacias ou tigelas tomaram a forma bandeja em materiais mais nobres como porcelana, bronze, bronze dourado e a cerâmica. 

Acredita-se que pinturas encontradas na tumba do príncipe Zhang Huai sejam próximas ao ano 706 d.C.. Nelas constam duas damas de companhia presenteando o herdeiro imperial com um pun-wan, demonstrando o quão apreciado era o cultivo de plantas. 

Essa pintura expressava também a riqueza de detalhes, técnicas e materiais usados. O sofisticado presente era conhecido também como brinquedo em bandeja, contendo apenas espécimes de árvores nativas.

Acredita-se que os primeiros pun-wantragam mais do que beleza de paisagens em miniatura. Simbolicamente, eles retratam o desejo de vida longa de quem presenteia. 

Estima-se que as árvores colhidas eram espécimes particularmente retorcidas e modeladas das selvas. Essas eram consideradas “sagradas”, em detrimento de demais árvores “profanas” que teriam fins comuns. 

Muito tempo depois, fascinados pela cultura chinesa, o Japão recebe os primeiros presentes datados há pelo menos 1.200 anos. 

Com o passar dos anos, não só o nome da arte foi modificado parabon-saicomo também às paisagens antes retratadas deram espaço a uma árvore ou arbusto. A influência de unidade espiritual veio das ramificações budistas do Chan chinês e do Dhyana meditativo indiano – os pais do Zen Budismo japonês.

Como não poderia ser diferente, os bonsais precisavam ser cultivados em vasos especiais – o que onerava bastante seu custo, além de ser uma arte permitida tradicionalmente restrita à nobreza. 

Nasce aí a ideia de alterar os elementos de sua base de sustentação e contenção das raízes. Agora o material mineral poderia ser substituído por uma bola de musgo, dando origem as populares Kokedamas – os “bonsais dos pobres”.

Originalmente as kokedamas eram ultivadas em jardins suspensos tanto no interior quanto nas fachadas de construções. A possibilidade de cultivo de plantas suspensas sem vasos caiu no gosto do povo japonês.

O contato com a natureza é tão relevante para o homem e isso é levado tão a sério pelos japoneses que, além de práticas com os bonsais e as próprias kokedamas, surgiu a Ikebana (técnicas de arranjos florais). 

Essa última é utilizada pelo exército japonês com a finalidade de manter a calma de sua equipe de elite frente situações adversas, por meio do silêncio necessário para a concentração no momento de formar os arranjos.

A Kokedama tradicional é feita em uma bola de barro, o que contém muito as raízes e compromete o crescimento da planta, a deixando estagnada.

As kokedamas da Plantt são uma releitura dessa arte milenar. A técnica desenvolvida por Vinicius Daemon permite que a planta não tenha seu desenvolvimento parado, precise de pouca manutenção e dure por muitos e muitos anos. 

Cada kokedama da Plantt é feita com extremo cuidado e carinho, seguimos todas as fases da metodologia desenvolvida por Vinicius para garantir que você tenha uma kokedama da Plantt perfeita para você.

Faça um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

3 × 1 =