Foto de Vinícius

Com uma guitarra na mão e uma planta na cabeça

 

“Foi na horta do meu avô, quando eu era criança.”

Essa é a primeira lembrança que Vinicius Daemon tem da sua atração pelo cultivo das plantas. “Aqui em casa, apesar de gostarem, ninguém tinha o hábito de mexer com plantas; minha mãe ganhava orquídeas, as deixava de lado, elas morriam e eu as ressuscitava e cuidava”.

Sua habilidade, curiosidade e dedo verde fizeram com que o seu talento fossem ganhando visibilidade e fãs, entre amigos e parentes. Quem via um de seus vasos e arranjos não esquecia porque era tocado pela natureza e pela arte.

Vinicius resolveu estudar paisagismo e se especializar na área em que já tinha um talento nato. O curso, aliado a seu autodidatismo, trouxe novas técnicas de cultivo, manejo e contato com diversas espécies.

Durante o processo de aprendizagem, ele deu início à pesquisa e à experimentação com as kokedamas. “Eu já tinha tido bonsai, e curti a ideia de não depender de vaso pronto e sim de você mesmo fazer sua planta, seu substrato, seu vaso.”

Durante dois anos, Vinicius se dedicou a estudar como tornar as kokedamas leves e com bom nível de crescimento. “Na Kokedama tradicional, a planta fica meio estagnadona, porque é feita uma bola de lama, e, depois de secar, quando ela já está dura, se embrulha com musgo. A minha é diferente, o substrato sempre está muito fofinho.”

Com a leveza, abriu-se um mundo de possibilidades. “Coloquei os ganchinhos e elas podem ser penduradas em qualquer lugar,mas também podem ficar apoiadas”.

Além das Kokedamas, Vinicius dedica seu tempo a outro processo criativo: a música. Ele é guitarrista e vocalista da banda KuaseNada, conhecida na cidade de Brasília desde os anos 2000.

Segundo Vinicius, o processo criativo da música, da produção das kokedamas e do skate, hobby que se dedica desde a adolescência, é parecido: “Preciso estar concentrado e deixar a mente livre. Na música, se fico pensando em um monte de coisas, não sai nada bom. No skate também, enquanto faço uma manobra, se não esvaziar a mente, respirar e me concentrar, eu caio. Com as kokedamas é assim também, coloco o celular no silencioso, escuto uma música e me concentro para sair tudo perfeito, é uma espécie de meditação”.

Além das kokedamas, Vinicius planeja e executa projetos de paisagismo no Brasil e no exterior. Entre eles, o do Complexo de entretenimento La Fabrica em Assunção, no Paraguai, em parceria com o escritório StudioMind Arquitetura e Urbanismo. Atualmente, dedica-se ao projeto paisagístico de uma casa, localizada na borda do Jardim Botânico de Brasília, marcada pela integração entre a casa e a natureza.

Desafios para o futuro? São muitos! O principal é levar essa energia positiva que sente ao trabalhar com as plantas para o maior número de pessoas possível. E assim, quem sabe, contribuir para reconectar as pessoas com a natureza por meio das plantas.